AYAHUASCA E EPIGENÉTICA (1a Parte) ALTERAÇÃO DO ADN HUMANO PELO CONSUMO DE AYAHUASCA? Estamos a um passo de demostrar que a evolução desde dentro é possível graças a um método normalizado e um estudo científico que se inicia este ano.

SE A CIÊNCIA DEMONSTRA A NOSSA TEORIA, ESTAMOS DIANTE DE UM MARCO DA HISTORIA DO USO DA TECNOLOGIA DE TRANSFORMAÇÃO 

Ainda que sejamos tantas as pessoas que já conhecemos a possível mudança desde dentro porque o comprovamos nas nossas vidas, agora é o momento da ciência o demonstrar.

Creio que sem exceção, todos os buscadores da verdade procuram uma mudança nas suas vidas. Acontece o mesmo com quem quer resolver algo, encontrar uma saída ou uma resposta de uma maneira ou outra, quase sempre está presente a necessidade de alterar algo que não gostam, que lhes desagrada ou que cria algum tipo de mal-estar.

Muitas pessoas asseguram “Vim apenas por curiosidade”, “Interessa-me provar Ayahuasca e outras plantas medicinais” “Quero ver os efeitos que produz”, mas ainda assim, no retiro surge outra realidade, mais ou menos oculta, de realizar algum tipo de mudança, mas não se atrevem a manifestá-lo diretamente. Às vezes porque parece-lhes impossível fazer algum tipo de mudança, outras de forma preventiva pelo medo que sentem. Nós estamos a descobrir empiricamente que A HUMANIDADE INTEIRA ESTÁ A GRITAR: QUERO MUDAR! Ainda que seja um grito interno, às vezes demasiado suave e ocultado, debilitado pelo medo, ou eclipsado pelas crenças. Este descobrimento não é novo, mas a novidade para a Inner Mastery (organização dedicada à transformação interna) é que estamos a abordar uma tecnologia original nunca antes utilizada.

Existe uma íntima relação entre “encontrar” e “mudar”, entre “solucionar” e “mudar”, entre “sanar” e “mudar”, entre “ser mais feliz” e “mudar”, entre “libertarmo-nos” e “mudar” e entre “sermos nós próprios” e “mudar”. É possível conseguir algo sem uma mudança prévia?

A necessidade de mudança é o denominador comum da maioria das pessoas. Por acaso, nas mesmas pessoas há uma grande resistência em mudar. Tanto a necessidade, como o medo à mudança, são fatores comuns. O medo segue como uma sombra a todas as tentativas de mudança. Parece que esta dicotomia existe tanto a nível molecular como psicológico.

Desde que uma pessoa se propõe a uma meta ou um propósito, coisa que esconde alguma necessidade de mudança, até que esses objetivos sejam alcançados, existirá um processo de grande desgaste psicoemocional pela contradição que se produz entre a necessidade e a resistência à mudança.

Uma autêntica luta interior. Para conseguir o que procuro devo fazer uma mudança, mas não me atrevo a mudar por medo a perder ou porque intui-o que acederei ao desconhecido que não posso controlar. Quando a necessidade de mudança não é tão forte como o nível de medo, este terá a sua vitória assegurada.

Por isso, é precioso acompanhar as pessoas nos seus processos de mudança de forma adequada e com um mérito estudado e comprovadamente eficaz. Conhecendo tudo o que acontece nestes processos, uma das coisas muito importantes a ter em conta é a resistência. Este é o motivo pelo qual estou a formar os meus integradores psicoterapêuticos para a especialidade de saber manejar a resistência a aceder ao novo e desconhecido e a saber confrontar quem diz que mudou mas é um engano.

Atualmente a ciência demonstrou que existem mutações genéticas resistentes a determinados medicamentos que poderiam sanar uma doença. Porque existe resistência a nível molecular para sanar? Haverá alguma relação entre a resistência psicológica com a resistência molecular? Que acontecesse se propiciamos uma mudança a nível molecular que seja a base e o apoio celular para posteriormente, podermos estabelecer mudanças na vida, apoiados pelo organismo? Como reverter as resistências inconscientes na mudança para iniciar um processo de evolução?

Ainda o vejo como uma utopia filosófica. Cientifica, isto é real agora. Estamos a comprová-lo em milhares de pessoas que mudam desde o mais profundo, quem sabe até, desde o seu ADN e desde aí, desenlaçam-se tsunamis que permitem as mudanças tão desejadas. Independentemente da motivação que os impulsiona a realizar estes processos, aparecem todo o tipo de mudanças positivas e construtivas para quem o experimenta. Desde aí, temos milhares de testemunhos que constantemente publicamos no nosso blog e canal de youtube. São uma prova empírica, mas a cientifica logo chegará. Já foi demonstrado cientificamente que a Ayahuasca NÃO PREJUDICA A SAÚDE PÚBLICA, agora estamos às portas de demonstrar que além disto pode prevenir doenças e inclusive mudanças epigenéticas que permitam enfrentar da melhor forma, qualquer doença.

 

O MÉTODO NORMALIZADO PARA O PROCESSO COM AYAHUASCA:

A proposta é muito simples,  as pessoas participam em 3 retiros em 3 meses, tomando uma serie de remédios naturais, sendo que a Ayahuasca tem um papel fundamental. Nestes encontros deverá ser feito um retiro a cada 28 dias, de 3 dias e 3 noites cada um. Depois o participante leva para casa dois tipos de medicinas naturais, uma infusão de Ayahuasca cuja dose é medida com precisão para que a pessoa não atinja nenhum processo físico ou emocional mas sim que a cada dia esteja presente a energia da Ayahuasca de maneira a que esta acompanhe o corpo no processo e se prepare para o próximo retiro. Além disto, damos uns frascos com uma diluição de um complexo xamânico 100%natural para tomar até 5 vezes ao dia, é como uma homeopatia que produz efeitos subtis. Esta diluição também contém ayahuasca em quantidades ínfimas.

As 3 notas distintivas dos processos de 3 meses:

  • O acompanhamento psicoterapêutico, emocional e afetivo com os participantes. Desde a integração que realizámos depois das tomas de Ayahuasca com dinâmicas de grupo e movimentos sistémicos, até a atenção por telefone ou e-mail em momentos em que a pessoa necessita comunicar, perguntar ou simplesmente partilhar o seu estado ou situação.
  • A confrontação que fazemos a quem quer escapar inconscientemente da decisão consciente de mudar. Utilizamos dissonâncias cognitivas conscientes, Não-Terapia e outras ferramentas que põem entre a espada e a parede quem resiste à mudança e também para que a pessoa seja honesta com a sua decisão.
  • A normalização do sistema em que se desenvolve o processo de evolução do participante. Como consequência de uma experiência de mais de 10 anos, com mais de 20.000 pessoas, criamos um programa integrativo sustentado na tecnologia de transformação que reúne e utiliza muitos métodos e abordagens, muitas ferramentas e técnicas.

 

Acreditamos que estes processos produzem mudanças a nível celular e molecular que nós não podemos comprovar cientificamente mas sim, através da observação da pessoa e os seus hábitos de vida, na sua atitude perante a sociedade, na sua forma de ser e sentir e muitos outros aspetos. É evidente que a mudança se está a produzir mas é indispensável, após tantos anos e com tantas pessoas, leva-la a laboratório e comprová-lo cientificamente. Na verdade, no Brasil, antes de a Ayahuasca ser legalizada, fizeram-se estudos na população que consumia semanalmente ayahuasca, concluindo os benefícios para a saúde, hábitos e interação social.

Muitos científicos perguntam-se: Como consolidar uma mudança molecular na vida quotidiana? Como manifestar uma mudança que ocorre na molécula de ADN, exteriormente nas relações e no comportamento? Quanto tempo pode tardar este processo evolutivo apreciado desde fora?

O tempo é relativo à tecnologia da transformação que acompanha este processo. O consumo de medicinas naturais, na forma que indicamos, não garante a 100% que a pessoa traga para a sua vida quotidiana esta mudança a nível molecular. No entanto, este processo é acompanhado por facilitadores e integradores experientes que supervisionam a forma de compreender e integrar estas alterações que surgem na vida das pessoas, na raiz da expansão de consciência que experimentam. O sistema que se torna efetivo é quase inevitável mudar, chega-se a um ponto em que se toma a decisão consciente de não mudar nada, um grande avanço em qualquer processo. Há uma grande quantidade de participantes e facilitadores que vão embora porque percebem que se dão continuidade ao método proposto por Inner Mastery, a sua vida deixaria de ser o que é e não o querem enfrentar. Estas pessoas apenas vêm para acalmar ou aliviar, satisfazendo a sua curiosidade ou distrair-se, autoenganar-se ou comprovar que nada os pode ajudar. Não vêm fazer uma transformação real. Ainda assim, por vezes, abrem-se a outra possibilidade e quando compreendem que se continuam nesse registo, tudo o que têm vindo a construir como projeto de vida se desmorona, sobretudo a ideia acerca de si mesmos. A razão é que o nosso projeto de vida é construído na base de expectativas, pressões externas e tudo aquilo que não somos. Este método confronta as débeis crenças que tem aparente poder, levando-os a um ponto em que estas desvanecem.

Quem está nos mais de 500 retiros por ano, com milhares de participantes abertos a uma experiência transformadora, vemos a contradição que existe entre querer e não querer, entre necessitar e resistir. Entre o momento de decidir mudar e o momento de deixar-se ficar para trás e não mudar, estão presentes fatores externos e internos que sabotam o processo. Por isso, muitas pessoas vêm com o plano prévio de fazer mudanças seletivas, não massivas, ou seja, mudar apenas algumas coisas que lhes incomoda, nada mais. Embora isto seja possível, é também complicado porque tudo está relacionado com tudo e para mudar apenas uma parte, é necessário isolar as outras, algo que não é saudável. Um exemplo prático, a nível mundial: Considerando o mundo como um organismo vivo, se quiséssemos resolver o problema da pobreza ou da exploração no mundo, teríamos que alterar as leis, as políticas, o consumo, a educação, as religiões, etc., já que estes males são uma consequência de muitos fatores. A pobreza não se resolve apenas com dinheiro, mas sim com alterações essenciais no ser humano. Assim, nós sugerimos que as pessoas que decidam de coração e de forma consciente, sejam coerentes com o que decidem. Em qualquer dos casos, mudar ou não mudar a pessoa deverá assumir essa responsabilidade. 

PROJETO CIENTÍFICO EM ANDAMENTO:

Muitas pessoas escrevem-me diariamente por muitos motivos relacionados com a minha atividade mas há muito tempo que peço à existência que me enviem cientistas abertos e dispostos a trabalhar comigo neste âmbito. Primeiro chegou Paco, um advogado e filósofo e sua companheira Rosa, farmacêutica. Os mesmos são professores na nossa escola e insistiram para que cria-se uma Fundação para apoiar estudos científicos que demonstrem o que estamos a afirmar, sem nenhuma base científica. Paco construiu a Fundação Inner Mastery, na qual sou o patrão e diretor. Posteriormente, chegou Manuel, um cientista andaluz que dirige um laboratório e que trabalhou a ideia, já elaborada, deste estudo. Manuel disse-me: “Reunimos alguns minutos tu e eu, e isso será suficiente para iniciar este ambicioso projeto”. É visível o nível de confiança e abertura que exibe.

Assim o fizemos e combinamos iniciar o mais rapidamente possível. Temos a fundação, o laboratório e profissionais como médicos, psicólogos, biólogos, químicos que constituem a equipa. Além disto, temos as pessoas que participam nos nossos retiros, dispostas a colaborar com este projeto. Neste sentido, assinam um consentimento informado onde permitem que utilizemos uma amostra de saliva colhida antes e após os retiros, por forma a determinar comparativamente as mudanças produzidas no ADN.

 

Está claro que se o ADN sofre alterações nas partes importantes que o compõem e que dirigem a evolução desde dentro, teríamos a base cientifica de que a mudança é real e possível. Foi demonstrado que as células são capazes de expulsar novas biomoléculas de diferentes tamanhos para no sangue e, atualmente, já é possível detetá-lo em biopsias líquidas. Isto é, depois destas alterações, estas podem ser comprovadas cientificamente através do sangue.

Quando comprovado cientificamente que certas biomoléculas estão relacionadas com as mudanças experimentadas, estaríamos diante um grande descobrimento, um marco na história da humanidade. Descobrir que é possível e real a mudança desde dentro e que este salto evolutivo é produzido pela utilização de um método normalizado em que se utiliza Ayahuasca, desenvolvido há mais de 10 anos, permite-nos transmitir tudo isto a todas as pessoas que o desejem.

Por este motivo criamos a Escola Consciente e os ciclos formativos da Escola Europeia Ayahuasqueira para que muitas pessoas de todo o mundo aprendam o que não pode ser ensinado, apenas recordado. Dedicamo-nos a que as pessoas recuperem a memória do que são porque sabemos que quando um indivíduo muda a perceção de si mesmo, inicia-se um processo de evolução interior imparável.

UM SONHO TORNADO REALIDADE:

Se os cientistas descobrem algum biomarcador que relacione a causa com o efeito nas pessoas que realizam o processo que propomos, estaríamos a demonstrar cientificamente que a mudança epigenética está associada a esta proposta.

Ao observar como funciona o processo de transformação orgânica, quando há evolução, podem-se apreciar que as mesmas sequências ocorrem nas mudanças de vida. Trata-se de uma observação consciente que tenho realizado em milhares de pessoas que quando tudo muda o interno, muda o externo também. O interno não é apenas molecular, mas também subatómico porque quando se desperta a consciência e alma aparece impetuosa por forma a atingir um processo de mudança, a pessoa sente-o como um renascimento. Ainda que o despertar da consciência ou o nascimento da consciência espiritual não se possam demonstrar cientificamente, comprovamo-lo nos milhares de participantes no antes e depois.

Quem sabe surja a conclusão errada de que estes remédios naturais e estas terapias possam mudar a vida. Nós sabemos que milhares de pessoas que tomam ayahuasca há anos, não mudaram a sua vida em praticamente nada. Por este motivo, criamos um método normalizado que acompanha e supervisiona os processos de transformação interiores, sempre que o participante o decida, no qual se confronte sistematicamente a autenticidade desta decisão.

 

A VIAGEM DA CONSCIÊNCIA

É possível que o ADN seja a consciência encarnada numa molécula, viajando pelo universo que chegou à terra fecundando-se pelas condições de vida existentes no planeta, permitindo a iniciação de um processo evolutivo que deu lugar ao nascimento de um organismo vivo capaz de criar consciência.

No entanto, em milhares de anos vimos que ter consciência não garante ser consciente. Todo o ADN humano possui a opção de despertá-la mas nem todo o ser humano pode aceder a dita opção. A razão é fundamentalmente a separação do humano da sua essência, o esquecimento do próprio ser, a implantação de sistemas de crenças que substituem a sua verdadeira natureza espiritual, cósmica e evolutiva.

Se uma pessoa toma muita Ayahuasca mas continua com o mesmo sistema de crenças e valores, tal interromperá a viagem da consciência e evitará o seu despertar. Portanto, a pessoa terá o seu processo comprometido. Sem o despertar da consciência não existe transformação possível. A razão principal da resistência à mudança e ao despertar é que o sujeito está preso à mentira do que é, mas que no entanto, esta mentira dá-lhe segurança e confiança.

De que vale a mudança do ADN se não estamos dispostos a mudar o nosso projeto de vida e a perceção de nós mesmos? Neste sentido, poderíamos afirmar que o despertar da consciência é o resultado natural de quem se atreve a desmontar os sistemas de crenças que o sustentam. Um ato de coragem tremendo! A expansão da consciência não depende do numero de tomas de ayahuasca, algo pode ser uma autêntica falácia e um autoengano, mas sim da decisão consciente de deixar para trás o que não é com respeito pela natureza evolutiva que possuímos e que nos impulsiona de múltiplas maneiras a realizar uma transformação interior holística desde o organismo, até ao pensamento, desde o corpo até à alma, desde as células até às relações, desde as emoções até cada uma das nossas decisões.

Como disse anteriormente: È a nossa necessidade essencial e a nossa terrível resistência.

A viagem em que nos encontramos todos, é a viagem da consciência e rumo à mesma. A consciência criou o cérebro para que através do mesmo se manifeste a consciência no plano material. O ADN foi à raiz da sua extraordinária capacidade de mudar e evoluir.

Agora é através da observação do ADN que temos a possibilidade de ser conscientes do processo de evolução que quem sabe, já estamos a atravessar. Se este estudo não chegar ou demorar, não impedirá que muitas pessoas experimentem a magia da transformação na sua vida e que estas possam utilizar a sua própria consciência para observar o precioso fenómeno da mudança em si mesmos. Todos os que o estamos a realizar somos cientistas da nossa evolução e naturalmente, estamos a disfrutar desta nas nossas vidas.

Alberto José Varela

nosoy@innermastery.es

 

Se te interessa mais informação para formar parte do grupo de pessoas que realizam o tratamento para o estudo científico, ou queres realizar un dos processos que propomos, durante 3 meses, escreve: a:  epigenetica@innermastery.es

Compartilhe

5 thoughts on “AYAHUASCA E EPIGENÉTICA (1a Parte) ALTERAÇÃO DO ADN HUMANO PELO CONSUMO DE AYAHUASCA? Estamos a um passo de demostrar que a evolução desde dentro é possível graças a um método normalizado e um estudo científico que se inicia este ano.”

  1. Quero simplesmente agradecer profundamente os compartimentos superconscientes transmitidos acima. A
    Ayauasca é um Complemento Sagrado e Poderoso com Tecnologia Quântica Espiritual Para Auxilio Em todos os processos de Desenvolvimento Humano.
    Namastê!!!

    1. Alberto José Varela

      Obrigado pela sua partilha.
      Existem diferentes caminhos para a evolução, mas o que acontece dentro de cada um de nós é partilhado no código genético.

    2. Alberto José Varela

      Muito obrigado pelo seu testemunho.

      De facto, a ayahuasca é uma ferramenta poderosíssima de reencontro com cada um de nós. Para alguns esta experiência de reencontro é um verdadeiro milagre.

  2. Henrique BOECHAT

    Muito bom. Sou psiquiatra e conheço o chá desde 1971. O chá é um milagre da natureza. Um encantamento, dádiva divina.
    abs

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top