COMO SE VIVE A EXPERIÊNCIA COM O BUFO ALVARIUS? Esta resposta é dada por um professor de filosofia que tem pesquisado o autoconhecimento durante muitos anos e experimentou-o pela primeira vez.

 

“EU REPETI A PALAVRA OBRIGADO! DURANTE VÁRIOS MINUTOS SEM PARAR”

Testemunho da minha experiência com o sapinho e como a estou a integrar no meu quotidiano. “JM, professor de filosofia”.

“A toma do sapo é o evento mais extraordinário que experienciei na minha existência. Posso dizer que, depois de três dias de o ter vivido, transformou a minha visão da realidade de maneira que o meu círculo mais próximo o verificou e testemunhou: agora eu sei que o mundo do quotidiano faz parte de uma ordem cósmica que o transcende e à qual consegui aceder por alguns momentos absolutamente impossíveis de codificar, nas palavras pelas quais nos relacionamos com o comum.

Eu só posso expressar o que experienciei como uma viagem instantânea à eternidade, um “big bang” que, em questão de segundos fez,”explodir” a minha consciência, e atirou-a em todas as direções até englobar o infinito.

Se estas palavras são chocantes, deve ser: a “viagem” que induz fumar o veneno segregado pelo sapo Bufo Alvarius, é um “choque” para o qual não há outra preparação para além de confiar. E falo de “veneno” no sentido genuíno do termo “substância que produz alterações funcionais”, esta alteração pode ser a remissão de uma doença ou mal. Ao dizer de Paracelsus, “o que em grandes doses mata, em pequenas doses cura”. Posso dizer que me curou de viver com tristeza e sem alegria.

A chave para esta cura é a dosagem, cuidados e conhecimentos com os quais o xamã Alberto Guzmán estava a administrar este medicamento prodigioso aos participantes: apenas alguns segundos de inalação profunda e depois o que só posso descrever como o orgasmo mais incrível que pode ser concebido , para ser jatirado fora da mente na vastidão do tempo e do espaço numa explosão de luz inconcebivelmente linda, maravilhosa e esmagadora ao mesmo tempo, e em que só existia como consciência pura, sem as minhas certezas, pensamentos, nem a mente e corpo acompanhavam. Nada disso que me limita participou na experiência. Eu cruzei um limiar em que o infinito que me habita se fundiu com todo o universo, mostrando-me que não são duas realidades diferentes, mas apenas uma.

Não há outra maneira de gravar o que experienciei do que dizer que eu vi tudo, eu era tudo e entendi tudo por alguns momentos indescritíveis.

Voltar daquela revelação voltou-me para uma realidade que agora os meus sentidos percebem de forma mais clara e precisa: a cor do céu, as tonalidades do verde das árvores, o som das canções com que o xamã Alberto Guzmán e Yadira, a sua esposa, me acompanharam, tudo era extraordinariamente rico e variado. Senti que tinha morrido e ressuscitei, e lembro-me que chorei de pura emoção pela alegria de me sentir vivo. O meu corpo tremia, dominado pela corrente de emoções que o atravessava como se a energia da terra mãe me ativasse. Eu só podia repetir a palavra “obrigado” durante alguns minutos quando me senti movido e feliz, imensamente feliz “.

“JM, professor de filosofia”.

SE QUER PARTICIPAR NOS PRÓXIMOS RETIROS COM O USO PSICOTERAPÊUTICO DO BUFO ALVARIUS, ESCREVA PARA:

experienciacumbre@gmail.com

portugal@innermastery.es

Este professor de filosofia participou no retiro organizado pela Rede holística de EpiCentros. (Madrid, Barcelona, ​​Marbella, Berlim e Torino)

 

Compartilhe

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top