CRIANDO VÌNCULOS AFETIVOS DE CURA. A conexão humana desde o nosso ser tem um grande poder transformador.

 

A CHEGADA DE TANTAS COMPREENSÕES GRAÇAS AOS OUTROS.

O diálogo do coração pode elevar a vida de qualquer pessoa.

Hoje é segunda-feira, 21 de outubro, são 5 da manhã em Espanha. Respondo a pessoas de todo o mundo há mais de 8 horas; a interconectividade espiritual dos diálogos que se cruzam ao mesmo tempo é emocionante; Eu estava escrevendo on-line a mais de 10 pessoas ao mesmo tempo entre whatsapp e Messenger, e de repente percebi que estava conectado ao mesmo tempo com muitas pessoas e de lugares distantes: Mar da Austrália, Leila da Argentina, Paola do Uruguai, Carolina do Chile, Laura de Marbella – Espanha, Ilana de Israel, Mariana da Argentina, Claudia da Suécia, Miquela da Itália, Elyah de Madri – Espanha, Nico de Usa, Fernando de Turkia, Jesus de Ceuta – Espanha; entre outros; e posso afirmar que todos eles representam uma parte da imensa rede de vínculos emocionais que tenho com leitores e colaboradores de grande parte do mundo.

Quero lhe contar uma coisa que pode mudar aspectos centrais da sua vida.

Entre as 19 horas do domingo dia 20 e as 3 horas da segunda-feira dia 21, não parei de ler o que escreveram nem de responder. Leitores, colaboradores, estudantes … mas todos sentidos profundamente no meu coração como amigos, irmãs ou companheiros no caminho da evolução interior pela qual viajamos.

Tudo começou quando hoje eu estava sozinho com minha filha de 16 anos, Anahí, foram duas a três horas que eu nunca esquecerei, ela fez-me uma pergunta muito pessoal, secreta e profundamente formulada. Estávamos entrando num restaurante quando ela lançou a pergunta, eu não respondi nada, queria-me sentar, respirar, pedir a comida e beber uma cerveja, sabia que era uma oportunidade de ouro, então olhei nos olhos dela e percebi que ela tinha chegado o momento de criar um vínculo muito mais profundo com a minha filha, com quem morei apenas 2 anos, nada mais, porque me separei da mãe dela e tivemos muito pouco contato em tantos anos. Mas tudo estava latente, aberto, disposto e pronto a surgir. Eu perguntei dentro: Por que não me relaciono com alguns dos meus filhos, assim como com tantas pessoas? E hoje eu percebi que isto é algo que não pode ser forçado, especialmente com a família de sangue, é como um milagre termos um vínculo de amor, autenticidade e transparência com membros da mesma família, mas você pode, apenas devemos estar atentos a esse momento mágico de abrir os corações para se conectar, para que se torne possível. Às vezes acontece pouco a pouco e às vezes é repentinamente porque surge algo que permite que o amor se manifeste num diálogo. Todo o  diálogo amoroso termina infalivelmente num vínculo profundo pelo qual muitas coisas preciosas passarão. 

As pessoas com quem eu partilhei estas horas de cura expuseram-me muitas coisas da sua vida, alguém me disse: “A minha irmã queria se matar”, outra disse: “Estou feliz pelo que estou a fazer agora” , outra confessou: “Estou muito atraída por um homem casado e com um filho, mas me sinto-me culpada por ter algo com ele ”, outro me perguntou como curar a bulimia.  outros me comentaram: “É o melhor momento da minha vida”, “Quero seguir este caminho evolutivo da minha vida contigo” “Gostaria de vê-lo e conversar durante vários dias consigo” “Agora eu entendo muitas coisas. Entendo. E isso por si só é um entendimento que está explorando tudo. ” Você é o melhor de mim. “Eu não conseguia imaginar algo mais precioso para a minha vida do que o que está acontecendo comigo.” Sinto que estou ao seu lado e que você está ao meu… e é mágico””  Preciso de continuar a partilhar estas coisas consigo. Como te abraçar para que sintas o meu amor?

Muitos me disseram que sentem a minha presença com eles, ou estão a perceber o poder que têm os vínculos que estamos a criar, porque é como se estivéssemos sempre juntos, apesar de estarmos geograficamente longe. Perante tantas palavras e experiências que me vieram, eu só pude ouvir, integrar e apoiar; Expressar o que sinto com tudo que vem a mim. Tornei-me incapaz de dar conselhos, só posso me mostrar tal como o que me vem a cada momento. Não é necessário dizer a ninguém o que fazer, principalmente se o amamos e queremos que entendam por conta própria.

Escrevi para alguns deles porque sinto falta deles, um deles é Fernando, um professor de psicologia que colabora como facilitador e mentor da Escola Consciente, conversamos sobre o filme Coringa e os psicopatas, enviou-me um belo texto de Miguel Torres: “Os desafios são grandes: trata-se de construir um mundo melhor e mais justo, onde ninguém precisa se arrastar na lama por não ter oportunidades. Trata-se de abordar com compaixão aqueles que sofrem e incentivar as suas vidas. Quão diferente o mundo seria se olhássemos para cada ser humano com compaixão ” e, no final, ele escreveu algo pessoal:“Esta força interior nasce no encontro com um anjo (um amigo, um tutor, um professor) que o apoia na queda e o lembra da sua beleza e dignidade. É o que acontece com muitos nesta organização Inner Mastery a partir da sua presença ”

E para terminar o meu dia, Jesus entrou em contato comigo, outro amigo que sinto falta, enviou-me um livro de 200 aforismos, ele é um professor de grego e um grande buscador espiritual, Jesus leu o meu livro e encarregou-se de fazer uma seleção de textos para partilhar com muitas pessoas. Ele escreveu um prólogo precioso, como se fosse a história de uma queda, mas isso revela o poder de cura dos laços: “Quando conheci Alberto José Varela e comecei a conhecer a sua vida e o seu trabalho, imediatamente senti que estava diante de uma pessoa extraordinária, um daqueles seres que gostaram do vinho da Verdade e ficaram intoxicados pela doçura da sua essência. Essa intuição deu lugar à certeza durante um jantar silencioso, ao qual ele teve a deferência de me convidar em terra italiana numa noite de eclipse lunar no verão passado de 2019. No decorrer da conversa, fui revelado que Alberto José encarnava como ninguém o arquétipo do Joseph bíblico, atirado pelos seus irmãos nas profundezas de um poço, vendido a alguns comerciantes como escravo e depois preso injustamente no Egito. Somente após um longo processo de teste, o Profeta Joseph pôde descobrir a verdade do que tinha visto nos sonhos e, assim, integrar todas as vicissitudes sofridas na sua vida aleatória a um nível mais alto de compressão. Como o Joseph da Bíblia, para o nosso Joseph, foi também a experiência da sua prisão injusta, “estar numa cova escura e infinita” que o forçou a se conectar com a sua própria profundidade e estava lá, nas profundezas de seu coração, onde ele descobriu que a Vida havia organizado tudo perfeitamente, que não havia espaço para erro, que a Vida, um nome que ele prefere ao de Deus, o colocara na prisão para que ele pudesse alcançar a Liberdade. Ele tinha plena consciência de que, quando alguém resiste a receber e aceitar a dose de graça que o tocou, a vida tem que agir. Ele sabia então claramente que chegara a hora de aceitar essa dose e que aceitar não significava apenas conformar-se ou renunciar a si mesmo, mas dizer “sim” com gratidão e do coração a tudo o que lhe chegava, fosse o que fosse. Foi esta aceitação grata e confiante que lhe permitiu gostar da liberdade com letras maiúsculas, essa liberdade que é a realidade essencial de cada ser e a compreensão absoluta do que acontece conosco. Para entender a verdade, ele teve que mergulhar nela. E essa compressão é iluminação. Fruto dessa experiência inesquecível foi o primeiro livro que ele publicou com o título “Desde a prisão, desde a minha liberdade” e do qual selecionei os duzentos aforismos que me fizeram vibrar de maneira especial. E deixei muito mais no tinteiro. Convido a todos os que lerem a meditar sobre eles pois provêm directamente do oceaneo da Realidade e aconselho-os a comprarem o livro para entrarem mais profundamente na mensagem libertadora de José Alberto Varelaque cuja amizade e ensinamentosme sinto imensamente honrado e profundamente agradecido.

 

“OBRIGADO”, A PALAVRA QUE RELATA UMA EXPERIÊNCIA:

A cada pessoa com que entrei em contato hoje, contei algo sobre mim, sobre a minha vida, sobre o que acontece comigo também, sobre o que vejo e sinto. É por isso que considero uma cura para todos e é por isso que a palavra que tem toda a proeminência em todos estes diálogos é “OBRIGADO”. Esta palavra, quando surge do coração, fala por si mesma do fenómeno do amor.

Às 4:32 da manhã, recebi a última mensagem de uma mulher, mas isyo representa exatamente a minha vida e o resumo desta situação: “Não quero mais escapar. Esta parte de mim está precisamente a morrer… a parte que estava fugindo… já não preciso mais dela, não a quero ” 

Por que não partilhar a nossa vida com os outros? O que pode nos impedir de abrir o nosso coração da pureza? Por que não contar o que acontece comigo ou o que eles dizem sobre mim? Eu publiquei tantas difamações que fizeram de mim, então por que não partilhar o que me move para as pessoas? Ativei tantas rejeições e julgamentos de tantas pessoas e aceitei com o coração aberto à compreensão; portanto, recebo com a mesma abertura tudo o que pode inspirar espiritualmente os outros. Ou aceitamos tudo ou temos que viver em rejeição.

Tudo isto é apenas parte do meu dia a dia, é uma pequena amostra da minha vida, e ser capaz de me abrir para mostrar a si autenticidade coloc-mea à disposição para que possa me conhecer mais, tanto no que sou como no que não sou, para que esta pureza possa continuar a guiar o processo de vinculação através das palavras, olhares e abraços de amor que continuaremos a partilhar por toda a vida.

 

Alberto José Varela

nosoy@albertojosevarela.com

Compartilhe

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top