CURSO E DESTINO TRANSCENDENTE DO USO DA AYAHUASCA NO MUNDO. Religiões, tradições, ciência e consusmismo são debatidos sobre o uso desta poderosa medicina ancestral.

O QUE ACONTECE COM A  AYAHUASCA E A QUEM A ESTÁ A MANUSEAR E CONSUMIR?

Nos últimos anos, começaram a desvendar-se as verdadeiras intenções de muitos setores que têm interesses muito diversos à volta do uso desta poderosa medicina natural. Apenas estão de acordo num ponto de vista.

Atualmente, toneladas de ayahuasca estão a ser distribuídas em todo o mundo, que estão a produzir uma verdadeira mudança de vida em milhões de pessoas de todas as classes socioculturais e económicas. Há milhares de reuniões em que diferentes grupos se reúnem todas as noites para entrar em contato com algo nunca visto ou ouvido, e isso traz-lhes paz, limpeza, reconciliação, aceitação, amor e compreensão. Em qualquer reunião de amigos, pode fazer o teste de mencionar a palavra AYAHUASCA para perceber que a maioria já conhece por boatos e que muitos já tentaram. Torna-se um tema de conversa para horas, mesmo quando contaba alguém que não sabe nada sobre isso. Como se algo mágico, atraente e carismático acompanhasse essa planta amazónica e a mera fonética do seu nome. Com apenas dizer: AYAHUASCA, algo começa a acontecer. É claro que algo importante está a acontecer com este medicamento ancestral, mas também muitos dizem que, por trás de tudo isso, há algo muito mais importante e ainda misterioso. O seu nome significa PEQUENA MORTE.

Há centenas ou milhares de anos, as milhares de tribos indígenas da Amazónia consumiram a Ayahuasca como medicina integral e como ativadora da intuição e da consciência; Para milhares de comunidades aborígenes, o consumo e uso permanente desde crianças da ayahuasca tem sido a espinha dorsal da sua saúde e força física, e até representou o elemento de união social, cultural e espiritual de muitas comunidades.

Há mais de 50 anos que a religião Santo Daime distribuí ayahuasca pelo mundo, dentro de um ambiente doutrinário com milhões de paroquianos em dezenas de países que consomem semanalmente como um sacramento, e que segundo os estudos científicos que têm sido feitos  nessas comunidades religiosas afirmam terem muitos benefícios para o corpo e para a alma, ainda mais significativas do que rezar, ler a Bíblia ou confessar. Mas também há muitas outras religiões brasileiras que também sacralizam e a usam com seguidores cada vez mais satisfeitos. A tal ponto que o Brasil legalizou o seu uso em contextos religiosos.

Durante algumas décadas, lançaram-se na sua pesquisa, psicologistas, antropólogos, psiquiatras e médicos, bem como um punhado de cientistas que nunca deixam de se surpreender com o que descobrem e surpreendem-nos com o que falam sobre os benefícios comprovados e demonstrados que esta mistura de vegetais produz. Tudo indica que, em qualquer momento, poderia ser usado por grandes laboratórios para produzir o medicamento mais potente. Muitos afirmam que isso não se vai tornar realidade porque demonstraria a inutilidade de milhares de medicamentos que lhes produziram ganhos económicos gigantes. Mas as investigações continuam, e cada vez que derramam mais informações sobre o poder de cura da ayahuasca. Numa primeira fase da única pesquisa realizada na ayahuasca na Clínica San Pau em Barcelona, uma equipa de cientistas a cargo do Dr. Jordi Riba, demonstrada depois de mais de 15 anos de pesquisa, que a ayahuasca NÃO DANIFICA A SAÚDE PÚBLICA. Ou seja, não há perigo no seu consumo. Mas agora eles estão a ir um pouco mais longe a entrar nos benefícios que produz em termos de saúde e a eficácia que ela tem para o tratamento de algumas doenças.

Desde há cerca de 20 anos, os xamãs deixaram a selva ou aldeias adjacentes para trazer a ayahuasca para as cidades com grande sucesso, onde há muitas pessoas que procuram novas opções de saúde, bem-estar ou espiritualidade, que estão abertas à medicina natural e também predispostas a serem guiadas pelos professores no processo de cura e as mudanças que querem para as suas vidas. Grupos de até 300 ou 400 pessoas na mesma noite e lugar em centenas de cidades na Colômbia, Peru, Equador, Venezuela e Bolívia, a tomar o mesmo medicamento e a serem guiados por um grupo de indígenas (de sangue) que afirmam ter a autorização dos seus mais antigos para usá-la. Nesses países, ao contrário do Brasil, eles estão mais inclinados a respeitar a tradição xamânica e os avós experientes que têm conhecimento e sabedoria para lidar com isso. Eles têm o poder de dar e autorizar aqueles que consideram dar a outros. A ideia é que todos os que vão dar ayahuasca devem ser iniciados e autorizados e que, se não for esse o caso, um erro ou falta de respeito está a ser feito para aqueles que acreditam ser os donos da ayahuasca.

Mitos que são distribuídos por si mesmo

Não podemos deixar de mencionar que a descoberta e uso desta medicina xamânica espalhou-se por toda a Amazónia, e isso inclui muitos países e milhares de grupos étnicos indígenas, por isso é impossível saber quem descobriu e, portanto, quem é o dono daquela descoberta. O que a comunidade poderia dizer “NÓS SOMOS AS PESSOAS QUE A DESCUBRIRAM, SOMOS OS PROPRIETÁRIOS DA AYAHUASCA”? certamente serão pessoas que querem gerenciar o poder de usar este medicamento, com argumentos que muitas pessoas aceitam como válidos. Daí surgiram muitas crenças e mitos, por exemplo, que a Ayahuasca só pode ser tomada com um xamã e na selva. Mas os cientistas estão a mostrar que os pacientes que tomam ayahuasca numa clínica ou hospital (onde estão a fazer a pesquisa) têm os mesmos efeitos que se estivessem na selva e com um xamã. Isto é dizer que esta medicina natural age muito acima de quem a dá e onde é tomada. Muitos participantes dos nossos retiros asseguram que têm experiências muito semelhantes nas nossas casas na Europa como a que tiveram na selva e nas mãos dos xamãs. Não é o mesmo ter o poder sobre o uso da AYAHAUSCA do que usar o seu poder de cura.

Por outro lado, é vital lembrar que, além de produzir efeitos físicos e espirituais (por isso, moveu a comunidade científica e religiosa) produz efeitos químicos que atraem milhões de psiconautas curiosos que são experimentadores ousados ​​de modificações bioquímicas no seu próprio organismo; e não me esquecerei de mencionar finalmente os efeitos psico-emocionais, que também movem milhares de terapeutas de todo o mundo para usá-la de maneiras diferentes, acompanhada de técnicas muito diversas que oferecerem métodos de cura de problemas psicológicos e emocionais. Esta mistura natural é a droga mais poderosa para a neurose, portanto melhora os relacionamentos, acalma os efeitos devastadores da depressão e da ansiedade, entre muitos outros benefícios.

No caso da nossa organização, que opera há quase 20 anos, desde o início, decidimos incluir as quatro tendências no interesse que gera: a xamânica (mas sem a obsessão pelo respeito ao purismo tradicional), a científica (mas sem colocar as verificações antes do mistério), o explorador (mas sem nos distrair na fenomenologia da viagem astral) e a psicoterapêutica (mas sem depender de qualquer técnica ou tratamento ou qualquer abordagem rígida).

Esta fusão e integração harmoniosa do trabalho com xamãs, com médicos e psicólogos, com terapeutas e curandeiros, num ambiente fluido e espontâneo, permitiu-nos criar um método aberto e dinâmico de grande aceitação em milhares de pessoas que preferem procurar a espiritualidade não doutrinária ou religiosa, uma cura sem dependências para terapeutas ou técnicas, uma busca interna sem professores externos e uma conexão com a energia curativa da natureza sem prestar homenagem às tradições xamânicas. Esta tendência baseada na liberdade e no desapego está a tornar-se um movimento mundial de pessoas que não vivem em comunas nem têm um guru para seguir ou admirar, nem que devem cumprir qualquer ritual ou dogma. Estamos perante um tipo de pessoas que querem algo muito específico.

A MARAVILHOSA VIAGEM DA CONSCIÊNCIA ATRAVÉS DE  PLANTAS

A jornada que a ayahuasca fez dos aborígenes aos cientistas, dos xamãs aos terapeutas, da selva às cidades, é uma jornada de profunda penetração nos alicerces de um sistema. A Ayahuasca vem dar-nos respostas, soluções e saídas, mas acima de tudo, uma esperança que é ativada quando nos concentramos no que está além do conhecido ou socialmente aceite como “bom”. A evolução biológica é uma adaptação constante às novas condições, mas a evolução da consciência começa a partir de um desajuste para o que não funciona, que é precisamente o que nos abre ao novo. Todos os que procuramos somos de alguma forma inadaptados, que apesar de coexistirmos com o sistema, damo-nos a permisão de indagar no mistério para saírmos do adormecimento e despertarmos a nossa consciência a novas compreensões.

Muitas pessoas da comunidade ayahuasqueira, demonizaram a expansão da ayahuasca e especialmente se houver dinheiro ou benefícios económicos envolvidos. Mas os dados falam por si só. Já existem clínicas com permissão estatal para usar ayahuasca, existem hotéis de luxo e resorts que o utilizam como parte das suas propostas de saúde e bem-estar; Existem agências de viagens que se dedicam a organizar grupos exclusivamente para a selva para tomar ayahuasca; O Peru tornou-se a capital mundial da Ayahuasca, milhões de turistas visitam este país para ter essa experiência transcendente; alguns empresários canadenses instalaram-se em Iquitos, no Peru, para produzir mais de 5 toneladas de ayahuasca pronta a beber e fornecê-la a centenas de centros de ayahuasca no Peru e a outros países. É claro que estamos perante algo muito grande, mas não a nível económico, uma vez que o movimento do dinheiro que podia gerar é de mil ou milhões de vezes menor do que o das drogas, moas o movimento que está a gerar outros aspectos é notório e obsrvá-lo pode dar pistas acerca do que está a acontecer na humanidade e no mundo que vivemos.

 

ALGO MAIS PROFUNDO ESTÀ A MOVER-SE MAIS ALÉM DO QUE SE PODE VER

No campo xamânico tradicional, muitas coisas estão a mover-se porque o gerenciamento saiu das suas próprias mãos, perder o controlo sobre o uso da ayahuasca gerou sentimentos mistos, porque eles estão a chegar à conclusão de que a ayahuasca está a ir além de si e onde eles querem ou podem ir, que esse medicamento chamado “SAGRADO” para eles é algo da humanidade e para a humanidade. Para aqueles que sentiram que possuíam ou possuíem o direito de usar esta planta, tiveram a oportunidade de se abrirem para a verdadeira intenção do espírito da ayahuasca e da selva, o que está a mostrar que eles querem ajudar a todos que se abram de coração a ela, e que possamos aceder sem a necessidade de intermediários autorizados.

Todas as vezes que eu vou à Colômbia adoro tomar com os Taitas, é dos melhores luxos para mim, mas isso não significa que desacredite a possibilidade de tomar com terapeutas, facilitadores ou iniciantes ayahuasqueiros, de fato, eu tomo com todos e eu também tomo na solidão em minha casa.

Nos campos terapêutico, médico e psiquiátrico está a ocorrer algo que merece admiração, há muitos profissionais de saúde que recomendam a adoção da ayahuasca, de fato, tomaram-na antes de recomendá-la. Muitos psicólogos, médicos ou psiquiatras vieram para os nossos retiros acompanhados de pacientes com graves problemas e complexos e que,  muma noite de ayahuasca, conseguiram ver como o nó mental mais complicado pode afrouxar e até mesmo desatar, ou como o sintoma físico mais irritante pode desaparecer. Mais e mais profissionais de saúde estão a aproximar-se da nossa organização para se juntar ao nosso projeto. O excelente projeto em que trabalhamos há um ano é a abertura de uma clínica médica na Suíça, onde iremos ajudar pacientes com Ayahuasca e outros medicamentos naturais.

Na esfera dos procuradores espirituais, algo que os incomoda está a ser movido, já que o paradigma do caminho para o despertar da consciência deve ser mudado. Muitos afirmaram que “a pessoa não precisa de tomar nada para aumentar a consciência”, “sem um professor para guiá-lo, não pode chegar muito longe”, “não pode ser que a solução seja tão acessível para todos”, “o despertar não é algo tão fácil que pode ser alcançado em numa noite “. Mas quando todos os que procuram têm a experiência, percebem que tudo o que foi feito até agora, e que eles achavam que era o certo, tinha sido uma mera preparação para dar um verdadeiro salto para o despertar.

É evidente que o poder iluminador e curativo da ayahuasca está se manifestando além do que é dito, pensado ou discutido. O ritmo expansivo e a onda de consciência que desperta seguem seu curso e parecem imparáveis ​​apesar de tudo.

“Que a pequena morte a que se refere o sentido da PALAVRA AYAHUASCA está conectada com a morte do nosso pequeno ego ferido que luta por um poder que não pode ter, ou a morte da nossa maneira limitada de perceber a realidade , que nos impede de ver que estamos todos no mesmo caminho”.

A Ayahuasca está a demonstrar a todos aqueles que a gerenciam, usam, investigam ou a consomem, que está muito acima de todos eles e dos seus interesses, e que, apesar deles, continuará o seu caminho de expansão em todo o mundo chegando a todas as pessoas que procuram sinceramente curar com remédios naturais, resolver os seus problemas mais rapidamente, acalmar as suas doenças de forma estável, encontrar a paz em seus corações e reconciliar com a vida e outros … realmente; dessas pessoas há mais e mais.

Por essa razão, talvez, todos nós que a usamos, consumimos e compartilhamos a ayahuasca estamos a ser guiados por algo que involuntariamente nos une, e isso está além da nossa compreensão.

É provável que a premonição que Taita Domingo teve, quando antes de morrer me disse: “A ayahuasca atravessará os oceanos e irá ao redor do mundo”

Ore o nosso slogan: “Ayahuasca, o movimento da consciência para uma consciência global“.

Por esta razão, dedicamo-nos a colocar a Ayahuasca no seu lugar“, onde há pessoas que sentem que têm experiência de uma maneira particular, em que o centro de todas as questões é a abertura do ser interior ao amor.

Alberto José Varela

nosoy@albertojosevarela.com

Compartilhe

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top