REDBULL & AYAHUASCA. A ilusão de ter asas para voar. (1ª parte)

 

A ILUSÃO DE VOAR SEM AINDA SERMOS LIVRE. 

O falso empoderamento daqueles que se apressam a voar.

Somos muitos que estão atravessando o meridiano que separa o auto-engano da verdadeira transformação, naquele momento e antes que a última linha ou limitação seja ultrapassada, mecanismos devastadores aparecem que podem nos impedir de dar o último passo. Um desses mecanismos que eu já vi em muitas pessoas é que acreditarem-se que estão prontos para voar, embora ainda falte alguma coisa.

“Eu preciso de poder, quero ter mais intensidade, quero subir às alturas, quero ser o chefe da minha vida, ninguém vai me dizer o que devo fazer…”, então bebo algo que me  pseudo-poder para fazer o que realmente não posso fazer, é por isso que preciso de força extra, preciso empurrar, preciso beber, colocar-me em qualquer coisa, sentir que posso… e acima de tudo, tenho alguma desculpa para escapar deste ponto em que estou prestes a atravessar.

Chamei de “SÍNDROME DO EMPODERAMENTO DO REDBULL “, o fenómeno experienciado por muitas pessoas que estão saindo do falso empoderamento e que são tão rápidas em voar que esquecem de se render. Como se fosse possível voar sem ter dado algo ou alguém; ou melhor, preferem render-se à ilusão de se sentirem livres sem abrirem os seus corações ao amor.

Se alguém disser “Eu posso voar com as minhas próprias asas” Quem disse que pode voar agora?

Acreditar que você pode voar não será uma maneira inconsciente de se jogar do penhasco? As pessoas que ainda não cruzaram a fronteira do despertar usam várias maneiras de cair de novo e de novo no chão, a fim de continuar fugindo da entrega e da consequente cura.

É impossível para o ego sair do burro. Ele nunca quer obedecer, mas apenas dar ordens. Esse é o falso poder, a crença que EU JÁ … conheço; que EU JÁ …  posso; que EU JÁ … estou pronto. Este síndrome “JÁ” já foi muito bem descrito pelo psicólogo Sergio Sanz, na Escola Consiente. Sergio é um ser extraordinário, de tremendo nível de entendimento e com uma capacidade especial de expressar palavras às realidades que experienciamos.

APROFUNDEMOS NO EFEITO REDBULL DO EMPODERAMENTO.

Ayahuasca, yoga, meditação … tantas técnicas poderosas e plantas-mestre usadas por personagens que precisam adquirir mais poder perante os outros, alcançando uma firmeza para continuar subindo, acabando por acreditar que o conseguem quando no fundo esse colapso interno ainda não aconteceu, o salto em direção ao precipício. Os remédios, os métodos, os professores dão-nos asas para voar, mas podemos dar um salto suicida. Abrir as asas para voar sem sequer estar livre permite-nos desconectar temporariamente da realidade, mesmo que ainda não saibamos voar. Às vezes, a ansiedade de voar é tão forte que excede a necessidade interna de obedecer incondicionalmente antes de pular. Quando nos lançamos sem ter atravessado essa entrega indispensável, podemos subir a uma certa altura, desde o mais alto do auto-engano pode-se apreciar o inferno que teremos de viver até voltar ao mesmo ponto em que abortamos o processo porque ainda não somos livres.

Abrir as asas para voar sem ser livre é uma espécie de suicídio, um aborto no processo de renascimento, um atalho para escapar da transformação iminente.

Como nos libertarmos de nós mesmos e da crença de que podemos voar? Como perceber se podemos realmente voar sozinhos?

À cerca de 20 anos atrás, um jovem bebeu um medicamento enteógeno e / ou uma droga enquanto estava em Ibiza, parece que ele viu que podia voar, estava perto de um precipício e atirou-se desde a fantasia que estava a ver, caiu nas pedras e morreu. Foi-me dito por um psiquiatra que estava naquele momento com o grupo de pessoas que partilharam a experiência. Isto ocorre de forma representativa de várias maneiras nas pessoas que buscam a experiência da unidade, que precisam de se sentir mais elevadas do que realmente são, e quando um ego ferido, magoado e ressentido adquire a crença de que pode, há uma inflamação do falso poder. e isso pode levá-lo a tomar decisões que não podem ser sustentadas física ou energicamente.

 UMA ABORDAGEM E UMA PERGUNTA PARA O DESEMPENHO

Rubén escreveu: “Na minha ignorância e no meu estado de sono, não consigo entender como alguém que acorda está a desistir da sua responsabilidade e de alguma forma do seu poder para outro, seja professor, pai, chefe … a minha pergunta é: é possível acordar do todo?”

RESPOSTA : Rubén, você não está a dormir, quem pergunta é quem não quer acordar ou entender nada. Se alguém o fez acreditar que essa pessoa já acordou e ainda não se rendeu, então esse suposto ser desperto tem que argumentar, justificar e explicar para que acreditem nele. A verdade não precisa ser provada ou mesmo dita.

Você está percebendo porque está recuperando a sua sabedoria. Não há possibilidade de alguém roubar o seu verdadeiro poder, a menos que roubem o seu falso poder, para que não roubem nada de si, mas sim que lhe tiraram uma das limitações que o impedem de voar livremente. Mas quem está a dormir não pode vê-lo dessa maneira, mas percebe isso como uma ameaça e submissão quando chega a mensagem de rendição. O argumento que a resistência usa é “eles querem me manipular”. ENTÃO AFASTAM-SE, FICAM COM RAIVA E COMEÇAM A VOAR ANTES DE TEREM SIDO DISCÍPULOS DE QUALQUER COISA OU PESSOA.

“Quando se entrega, não entrega a sua responsabilidade, mas sim a sua resistência ao outro; Se você se render, será a primeira vez que se tornará autenticamente responsável … pela sua entrega. ENTREGA É O PRIMEIRO SINAL DE DESPERTAR ”

Essa síndrome do Empoderamento Red Bull representa mais uma crença dos personagens ainda adormecidos, mas prestes a acordar. A crença de que você pode voar sem sequer ser livre é um recurso mantido pelo inconsciente que deseja que você falhe na tentativa de alcançar o verdadeiro poder.

Despertar já é uma realidade interna do seu Ser. Apenas dedique-se a dar a si mesmo tudo o que puder, tudo o mais virá além, sem esforço, sem conflito e sem ter que fugir ou escapar.

A ENTREGA E DISCÍPULO DE ACORDO COM OS MESTRES:

Entrega por parte do discípulo, responsabilidade por parte do Mestre; Essa é a ponte. E sempre que você estiver em posição de se render, o Mestre aparecerá. O Mestre está aqui. Os Mestres sempre existiram. O mundo nunca teve falta de mestres, sempre teve falta de discípulos. Mas nenhum Mestre pode começar alguma coisa a menos que se renda. Portanto, desde que você tenha a possibilidade de se render, não a desperdice. Mesmo que você não encontre alguém a quem se render, simplesmente entregue-se à Existência. Mas sempre que houver uma situação em que você possa se render, não a desperdice, porque então você está na fronteira, está entre o sono e a vigília. Simplesmente renda-se!

Se podes  encontrar alguém a quem recorrer, certo. Mas se não conseguir encontrar alguém, apenas se renda ao universo, e o Mestre aparecerá; chegará. Ele chega sempre que a entrega ocorre. Você torna-se vazio, ôco, e as forças espirituais correm na sua direção e enchem-no.

Lembre-se de que sempre que sentir que precisa de se entregar, não perca a oportunidade. Ela pode nunca mais aparecer ou só pode fazê-lo depois de alguns séculos, e muitas vidas serão desperdiçadas desnecessariamente. Sempre que chegar a hora, renda-se.

Renda-se ao Divino, a qualquer coisa, até a uma árvore, porque o que conta não é a quem você se entrega; O que conta é que você se rende. Entregue-se a uma árvore, e a árvore se tornará o seu Mestre. Entregue-se a uma pedra, e a pedra se tornará Deus. O que conta é a rendição. E sempre que alguém se rende, sempre chega … É isso que significa iniciação. Osho

Esta imagem representa o olhar da busca pela liberdade, é de uma alma divina que inspira ao despertar, além de ser uma leitora deste blog, ela é uma amiga pessoal, para que eu possa confirmar que olhar nestes olhos o ajudará e inspirará você a entender o poder da autenticidade e a estabilidade da profundidade para aceder a realidades conflituosas ou mesmo confrontadoras que o fazem retornar ao ponto certo de ENTREGA. Obrigado Devi.

 

Alverto Varela

nosoy@albertojosevarela.com

 

QUER VOAR É QUERER PODER.

O profundo desejo que surge do coração humano para verificar se pode.

https://www.albertojosevarela.com/falso-empoderamiento-y-busqueda-de-realizacion-2da-parte/

 

Compartilhe

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top