TEXTOS DE BUDA. Exégesis e comentários com aplicação ao quotidiano. “estás perdido? Então podes encontrar-te”.

A maturidade, a responsabilidade e o final das dependências externas.

Não sou budista, mas amo o buda. Dito isto, vamos aprofundar um pequeno texto de um grande professor, que contribuiu para a minha riqueza espiritual e o meu processo de evolução.

A integração da sabedoria dos professores na vida prática, consiste em resgatar a essência da mensagem, acolhendo-a no coração e levando-o às atitudes de cada dia.

Buda diz: “Uma vez que compreendes que estás perdido e que terás que talhar o teu próprio caminho, e que não vai chegar nenhum tipo de ajuda, então tornas-te responsável”.

No processo de infância e educação que as crianças recebem, manifesta-se no geral na ausência de uma figura paterna satisfatória, equilibrada, com autoridade e carinho, esta situação criou uma necessidade humana generalizada de professores, por isso os cristãos chamam “Pai” a Deus. Os cidadãos europeus chamam “paternalista” aos governos.

As milhões de pessoas de todo o mundo, levam consigo uma criança sem pai. Esta realidade produz uma busca e uma dependência insana que não ajuda à maturação psicoemocional das pessoas.

O certo é que eu estou sozinho, e tu estás sozinho também, gostaríamos de ser acompanhados nesta empresa chamada “vida”, gostaríamos de contar com uma figura paterna que nos proteja e que nos diga o que devemos fazer, isso criaria muito conforto e despreocupação, mas também uma grande irresponsabilidade.

Buda disse:

  1. Uma vez que compreendas que estás perdido

(compreensão de que estamos pior do que imaginamos e que precisamos de ajuda)

 

  1. … e que terás que talhar o teu próprio caminho

(pelo teu próprio esforço na solidão sem que pareça algo já conhecido)

 

  1. … e que não vai chegar nenhum tipo de ajuda

(deixar de pedir, nem procurar, nem esperar algum tipo de apoio externo)

 

  1. … então tornas-te responsável

(encarregas-te da tua própria vida, deixas de culpar os outros, de apontar de dedo, de julgar e começas a procurar as tuas próprias soluções)

Por isso Osho afirma: “Orar, pedir, rezar, é até certo ponto irresponsável”. Não diz que é mau ou negativo, mas de irresponsáveis. A ideia de fundo é clara: depositar a confiança fora é um ato irresponsável.

Um professor, um remédio, um grupo de terapia, uma escola espiritual, uma crença, um guia, um médico, um xamã, um guru … São uma figuras externas que podem distrair ou ajudar a encontrar-te. São duas possibilidades muito opostas. Pode ser uma criação da mente humana para não encontrar saída e continuar a dar voltas pela selva, perdidos e queixando-se de não poderem sair, ou pode ser a atitude de entrega que permitirá encontrar a saída definitiva de todos os problemas ou confusões.

“Uma vez que compreendes que estás perdido e que terás que talhar o teu próprio caminho, e que não vai chegar nenhum tipo de ajuda, então tornas-te responsável”.

Obrigado Buda

Alberto José Varela

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top